Cuidados com a voz


Professor: aproveite as férias para melhorar a saúde da sua voz !


1. Por que a voz é tão importante para o professor?
Porque a voz carrega as palavras e também passa a mensagem emocional atrelada a elas. Todos já tivemos a experiência de em um simples “alô” perceber uma emoção de alegria ou preocupação. Assim, o som da voz tem a dupla função de informar conteúdo e sentimentos. De modo particular para o professor, a voz ensina, controla os alunos, mostra atenção e carinho e é o principal recurso de transmissão do conteúdo de aula.

2. Porque os professores têm tantos problemas de voz?

Porque os professores usam a voz constantemente, assim como os atletas usam os músculos do corpo. Contudo, ao contrário dos esportistas que se submetem a treinos específicos e desenvolvem um preparo físico suficiente geralmente para resistir ao desgaste de sua profissão, é raro que um professor tenha tido a oportunidade de desenvolver sua voz para comunicação em sala de aula. Além disso, a voz para ser efetiva tem que contar com a ajuda de condições ambientais que favoreçam sua projeção e, muitas vezes, isso não acontece nas escolas.

3. Como a voz é produzida?

A voz é produzida na laringe, que fica no pescoço. O som da voz depende de um refinado controle cerebral que coloca em vibração as pregas vocais, popularmente conhecidas como cordas vocais. O combustível dessa vibração é o ar que sai dos pulmões. Uma boa coordenação entre o ar que passa pela laringe e a vibração das pregas vocais produz a voz humana, que se transforma nos sons da fala pelos movimentos dos articuladores, como a língua e os lábios.


4. O que ajuda a voz?

Uma boa condição de saúde geral é importante. Um treinamento fonoaudiológico mínimo para a atividade de docência ajuda a desenvolver a competência vocal. Perceber desvios vocais e procurar minimizar o desgaste é um dos primeiros passos para preservar o bem-estar vocal. Dosar o tempo de fala, o tom (fino ou grosso), o volume da voz (fraco ou forte), intervalos de repouso de fala, hidratação e competição com outros ruídos (conversas na classe e barulhos externos) são algumas estratégias a serem utilizadas no dia-a-dia. O mais difícil é compreender a dose certa de cada um desses aspectos.

5. O que prejudica a voz?

Falar demais quando se está doente, cansado, após uma noite mal dormida, com gripes ou resfriados, em ambientes inóspitos e quando se está muito estressado são alguns inimigos da voz. Evidentemente, o fumo e o álcool são reconhecidamente prejudiciais à saúde como um todo e de modo particular constituem o maior risco vocal.

6. Como saber se eu tenho problema de voz?

Se sua voz modificou-se nos últimos tempos, se você percebe que a voz nas férias é muito melhor que durante o período letivo, se você faz força para falar, se ao final do dia sua voz está fraca, rouca e/ou cansada, se você teve que mudar seu estilo de aula por causa da voz, se você está falando menos, se sente algum incômodo ao falar ou se os outros perguntam o que está acontecendo com a sua voz, é possível que você esteja com algum problema que mereça ser investigado com a devida atenção.

7. Quem pode ajudar a resolver meu problema de voz?

Os profissionais capacitados para ajudá-lo a verificar suas condições vocais são o médico e o fonoaudiólogo. Dentre os médicos, dependendo da configuração de seu local de trabalho, você poderá ser encaminhado a uma consulta ou buscar ajuda de um clínico geral, médico do trabalho ou otorrinolaringologista, sendo este último o especialista em problemas de ouvido, nariz e garganta.
Algumas escolas contam com a ajuda de um fonoaudiólogo, que poderá também orientá-lo nessa primeira busca de ajuda e encaminhá-lo a um especialista em voz, se necessário.

8. Como saber se eu falo alto demais?

Geralmente as pessoas que falam alto demais não percebem o volume de sua voz, mas recebem comentários negativos sobre isso. Algumas famílias têm o hábito de falar alto, principalmente as mais extrovertidas.
Outras vezes, um ambiente de trabalho ruidoso exige que o volume de voz seja alto e acaba-se perdendo a consciência real da voz utilizada, desenvolvendo-se o hábito de falar alto.

9. Quais as principais dicas para manter minha voz saudável?

As principais dicas são: desenvolva uma escuta diferenciada, prestando atenção em sua voz e na voz dos outros, procure reduzir a força com que você fala, melhore suas condições físicas,respeite seus horários de alimentação e descanso e veja se há possibilidades de introduzir melhorias em seu ambiente físico de trabalho. Lembre-se de que manter o corpo hidratado, tomando goles de água durante as aulas é um recurso fácil, simples e bastante efetivo para reduzir o atrito entre as pregas vocais. Para aliviar uma voz cansada, fale mais devagar, articule bem as palavras, abra a boca ao falar e module sua voz, pois tais mecanismos contribuem para que você tenha um menor desgaste vocal.

10. Como posso me comunicar melhor?

Seja objetivo, use frases curtas e diretas, para evitar longos períodos de fala, geralmente acompanhados de pausas e hesitações, que distraem o ouvinte. É importante certificar-se de que os alunos estão prestando atenção e compreendendo a mensagem. Não fale voltado para a lousa e faça contato de olhar com todos os alunos.
Torne sua comunicação interessante, use uma voz modulada e uma boa dicção. Permita que o aluno faça perguntas e participe ativamente de sua aula, que deve ser, acima de tudo, uma rica experiência de comunicação com o professor. Mova-se com naturalidade e use gestos que acrescentem informação ou destaquem idéias e palavras. Contudo, tome cuidado para não exagerar nos movimentos, nos gestos e na voz.

11. O que cansa mais: ler ou falar de improviso?

Geralmente ler em voz alta cansa mais, pois são poucas as pessoas treinadas nessa tarefa especial, que exige o emprego de recursos específicos de expressividade. Além disso, manter uma classe atenta durante uma leitura é difícil, tanto pelo fato da maioria dos textos não serem adaptados para a leitura, como pela tendência que temos de reduzir a modulação de voz nessa tarefa. Falar de improviso é mais dinâmico. Na verdade, para os professores, o improviso quase nunca existe, pois as aulas são preparadas.

12. O que fazer quando estou rouco e cansado?

A melhor atitude seria descansar o corpo e a voz, mas nem sempre isso é possível. Se você realmente precisar dar aulas quando cansado, use a voz mais baixa, mas sem sussurrar,pois pode ser um esforço adicional. Fale mais lento e modulado, use frases curtas, desenvolva atividades com os alunos que exijam menos de sua voz e mantenha-se hidratado.

13. Posso chegar a perder a voz definitivamente?

Isso é praticamente impossível, porém, uma sobrecarga continuada em um professor rouco e cansado vai fazer com que a voz fique cada vez mais comprometida e que o esforço necessário para lecionar seja cada vez maior. Assim, é aconselhável buscar ajuda logo que perceber alguma alteração vocal.

14. Falar demais dá câncer?

Nenhuma pesquisa comprovou que falar demais dá câncer. Hoje se sabe que são vários os fatores que contribuem para o desenvolvimento do câncer da laringe, entre os quais o fumo, o álcool, condições genéticas e ambientais. Tudo o que irrita os tecidos do corpo contribui potencialmente para desenvolver o câncer. Assim, do ponto de vista teórico, continuar falando sem uma boa saúde vocal pode eventualmente ser um fator adicional de risco. Falar demais não dá câncer, porém, um dos principais sintomas do câncer da laringe é a rouquidão e, desta forma, buscar ajuda médica precoce oferece melhores condições de diagnóstico e diversas alternativas de tratamento, com melhores chances de recuperação vocal.

15. Como saber se preciso procurar um especialista?

Se você tem alguma dúvida nesse sentido, procure um dos serviços listados no final desta publicação ou busque uma indicação confiável.
Lembre-se ainda de que você usa sua voz profissionalmente, o que é uma realidade diversa da maior parte das pessoas. Do mesmo modo que um pianista cuida preventivamente de suas mãos e um jogador de futebol toma todas as precauções com seus joelhos, você deve ter um cuidado especial com sua voz. Prevenir os problemas de voz é seu maior aliado para desenvolver uma carreira docente com longevidade e satisfação. Ser professor é uma das profissões mais nobres e o uso da comunicação é o principal meio de atingir seu aluno.

16. Como saber se um tratamento de voz pode ser feito com remédios, exercícios ou cirurgia?

Quem define isso é o médico, que pode solicitar ajuda de outros profissionais, principalmente do fonoaudiólogo. Remédios são geralmente usados em quadros de inflamação, infecção, alergias e refluxo gastresofágico. Somente o médico pode receitar medicamentos e você nunca deve automedicar e nem tomar remédios que funcionaram para os outros. Os remédios podem melhorar uma condição orgânica que prejudica sua voz, mas não tratam o comportamento vocal propriamente dito. Os exercícios vocais fazem parte do que é chamado reabilitação vocal, sendo o fonoaudiólogo o profissional capacitado para prescrevê-los e administrá-los.
De modo semelhante aos remédios, um exercício que é bom para seu colega não necessariamente vai ajudá-lo e pode até ser negativo para sua voz. Procedimentos cirúrgicos são empregados em diversas situações, tais como para remover lesões benignas (“calos” – nódulos, pólipos ou cistos), malignas (câncer da laringe) e para resolver outros problemas como paralisia de prega vocal.

17. Qual a chance de um tratamento não dar certo?

A área da saúde não é uma ciência exata e, portanto, um tratamento pode não ter os resultados esperados. Contudo, há muitas opções que podem ser utilizadas e um acompanhamento constante ajuda a selecionar várias possibilidades de tratamento. Em todas as situações há sempre condições de melhorar a comunicação. A participação do paciente é um dos principais aspectos no resultado obtido com qualquer tratamento. As pessoas não devem ser passivas em relação a sua saúde e bem-estar, o que também vale para a voz.

18. Posso perder a voz por causa de uma cirurgia na laringe?

É praticamente impossível que isso aconteça, porém, sua voz pode ficar temporariamente pior após uma cirurgia, na qual uma parte da prega vocal ou de outras estruturas da laringe tenham sido removidas. A reabilitação nesses casos mais severos evoluiu muito nas últimas décadas e há recursos para reduzir as limitações que muitas vezes podem ser inerentes ao tratamento realizado.

19. Por que o pigarro prejudica minha voz?

Porque ao pigarrear você causa um forte atrito entre as pregas vocais, o que pode favorecer o aparecimento de lesões nos tecidos da laringe. Se sentir que está com muita secreção (catarro ou muco), procure engoli-la ou pigarreie suavemente. Manter o corpo hidratado ajuda a diluir as secreções viscosas.

20. Eu posso mudar a minha voz?

A voz é o resultado da somatória de aspectos anatômicos, emocionais e culturais. Desta forma, ao longo da vida, desenvolvemos uma voz que tem como base fatores orgânicos (menos flexíveis) associados a fatores emocionais, culturais e profissionais (bastante variáveis). Na verdade, usamos diversos tipos de voz de acordo com o interlocutor, a situação e o ambiente de comunicação. Podemos aprender a variar a voz de modo mais consciente e adequado às necessidades a que somos submetidos. Se você não gosta de sua voz por algum motivo estético, por considerá-la muito nasal, monótona, grossa ou fina, forte ou fraca demais, procure um especialista para analisar as possibilidades de modificar os ajustes envolvidos em seu padrão de voz. Todos podem melhorar a voz.

Acesse o site e obterá maiores informações importantes:http://www.sinprosp.org.br/arquivos/saudedoprofessor/bem_estar_vocal.pdf

Não vou postar tudo, porque ficaria muito cansativo para ler aqui. Mas não deixem de acessar o site, é muito bom.
Devemos cuidar muito bem da nossa ferramenta de trabalho: VOZ.

Espero que tenham gostado.

2 comentários:

Michele Coalho disse...

Olá! Ganhei um presentinho e gostaria de compartilhar com você. Passa lá no meu blog pra pegar.
Ótimo 2009 cheio de Bençãos do Senhor Jesus!!!!
Michele

Roseli disse...

Sil, muito bom este artigo. Vou ler o restante que vc não postou.Parabéns.