Jardins suspensos


 
Você já pensou que uma maneira de amenizar os impactos da mudança climática pode estar sobre sua cabeça?
Pois é, transformar o telhado dos prédios ou casas em uma área verde pode fazer um bem danado a grandes cidades, como Nova York, São Paulo e outras capitais do Brasil, cheias de arranha-céus e cimento.
É essa a proposta dos chamados Green Roofs, ou, telhados verdes.
Entre outras vantagens, substituir o asfalto dos telhados por um jardim reduz o consumo de energia, diminui o barulho que vem das ruas, evita enchentes, embeleza a cidade e recupera um espaço hoje desperdiçado.
As áreas verdes absorvem gás carbônico e diminuem a temperatura dos prédios, principalmente pelo processo de evaporação de água nas folhas. As plantas absorvem 70% da água da chuva e, com isso, reduz em 30% a temperatura. Por isso, no verão, nem é preciso de ar condicionado.
Várias cidades já aderiram a essa onda de telhados verdes.
Na Alemanha, 17% das casas já têm a cobertura respirando. Em Tóquio e na Cidade do México, onde verde é coisa rara, o governo dá incentivo fiscal para quem plantar no telhado.
Nos Estados Unidos e Canadá há cerca de 639 projetos como esse.
Os novaiorquinos, por exemplo, recebem subsídios para plantar hortas no telhado de casas e apartamentos comerciais. A lei é do ano passado, mas já atingiu 10% da área construída na cidade. Com isso, já foi abatido um total de impostos de cerca de 100 mil dólares.

O sucesso é tanto que escolas e universidades também estão criando hortas nos telhados para usar os produtos nas suas lanchonetes.
Imagine os milhões de hectares de telhados estéreis em todo o planeta sendo devolvidos à natureza - com espaços verdes surgindo onde antes havia asfalto e cascalho.
Todos saem ganhando. A cidade, as pessoas e o meio ambiente.

Fonte: National Geographic / Planeta Sustentável / Cristiana Arcangeli





1 comentário:

Philippe disse...

www.cocoverderj.com.br/coberturaverde.htm

www.cocoverderj.com.br/jardimvertical.htm